POR QUE, AO QUE TUDO INDICA, NÃO CONSEGUIMOS EVITAR A FALTA DE HIGIENE DAS MÃOS?

POR QUE, AO QUE TUDO INDICA, NÃO CONSEGUIMOS EVITAR A FALTA DE HIGIENE DAS MÃOS?

Sabemos que é bom lavar as mãos. Sabemos que é uma das formas mais eficazes de impedir a disseminação das infecções nos ambientes hospitalares. Então, por que o cumprimento das normas de higiene das mãos continua a ser um problema?

De acordo com o vídeo Hospital e Redes de Saúde, são 10 as principais causas da falta de higiene das mãos:

1. Localização inadequada de dosadores e pias

2. Os dados que mostram conformidade com a higiene das mãos não são coletados ou registrados com precisão ou com frequência suficiente

3. Falta de responsabilização e de treinamento prático

4. A cultura da segurança não enfatiza a higiene das mãos em todos os níveis

5. Treinamento inadequado ou insuficiente

6. Os provedores de materiais de saúde, tal como aqueles que transportam suprimentos, têm as mãos sempre ocupadas

7. Uso de luvas que interferem com a higiene das mãos

8. A percepção de que, com o uso de luvas, não há necessidade de higienizar as mãos

9. Os profissionais da saúde esquecem de proceder à higienização das mãos

10. Distração

Além disso, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) relatam que alguns prestadores de serviços de saúde lavam as mãos menos da metade das vezes que deveriam. Por quê? Pode ter algo a ver com o número de vezes em que um profissional de saúde deveria lavar as mãos durante o dia, se fossem seguidas as práticas adequadas de prevenção das infecções. De acordo com as “5 Situações que requerem Higiene das Mãos” da Organização Mundial da Saúde (OMS), os profissionais de saúde devem lavar as mãos em cada uma das seguintes situações

As 5 situações que requerem

HIGIENE DAS MÃOS

1 – ANTES DO CONTATO COM O PACIENTE

2 – ANTES DE UM PROCEDIMENTO ASSÉPTICO

3 – APÓS POSSÍVEL EXPOSIÇÃO A LÍQUIDOS CORPORAIS

4 – APÓS CONTATO COM O PACIENTE

5 – APÓS CONTATO COM AS ÁREAS PRÓXIMAS AO PACIENTE

Parece um excesso de lavagem de mãos. E quando você leva em conta o número de pacientes com os quais um trabalhador da área de saúde interage em uma unidade de cuidados intensivos durante um turno de 12 horas, esse número pode aumentar consideravelmente, sem falar da falta de tempo, caso um profissional de saúde tivesse que lavar "eficazmente" as mãos com água e sabão conforme os protocolos de lavagem das mãos.

Com essa simples lista de razões para a falta de higiene das mãos, não parece tão surpreendente que isto ainda represente um problema!

Felizmente, hoje em dia existem no mercado produtos e sistemas para ajudar a tornar essa tarefa mais fácil para os profissionais de saúde. Em primeiro lugar está a adoção nos últimos anos dos higienizadores à base de álcool como um meio eficaz de lavagem das mãos. De fato, de acordo com o CDC, os higienizadores à base de álcool são agora o método preferido para a limpeza das mãos nos estabelecimentos de saúde (exceto em casos de C. difficile), porque eles:

• São mais eficazes do que o sabão para eliminar germes potencialmente letais das mãos
• Têm ação mais rápida
• São de mais fácil acesso do que as pias para lavagem das mãos
• Resultam em contagens bacterianas reduzidas nas mãos, e
• Melhoram as condições da pele com menos irritação e ressecamento do que com o uso da água e sabão.

 

Em segundo lugar, está a introdução de sistemas eletrônicos de monitoramento da conformidade da higiene das mãos para ajudar a lembrar os profissionais de saúde quando devem lavar as mãos. Esses sistemas também fornecem dados precisos e confiáveis para ajudá-los a avaliar e melhorar efetivamente o desempenho da higienização das mãos, o que resulta em casos de infecção mais leve.

Na área da saúde, embora os padrões e as oportunidades para a higiene das mãos permaneçam os mesmos, a disponibilidade de produtos e tecnologias mais eficientes torna a tarefa mais fácil de ser cumprida pelo pessoal. A higiene adequada das mãos e a adesão contínua às normas são necessárias para garantir a saúde e a segurança do pessoal e dos pacientes. É sabido que a higienização das mãos causa um enorme impacto na segurança do paciente e no desempenho do hospital; portanto, certificar-se de que o pessoal está ciente e tem condições de seguir a orientação das 5-Situações é o primeiro passo para ter sucesso no propósito de eliminar as práticas inadequadas de higiene.


Compartilhe:



TOPO